quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Novos trens de volta à linha 3 - Vermelha do Metrô

Os 4 novos trens da linha 3- Vermelha do Metrô de São Paulo, já voltaram a circular. No último dia 2, a composição H-61 ao alinhar na plataforma da estação Sé (PSE) raspou a tampa do painel externo no piso. Na ocasião, não houve riscos para os usuários que ali estavam. porem por cautela o Metrô retirou todos os novos trens da empresa Caf de circulação (H-59, H-60,H61 E H62) para análize técnicaatravés de uma comissão, e rigorosos testes e troca do material causador da falha.



Em algumas semana a linha 1 - Azul deve receber também 2 dos 7 novos trens comprados.

segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Vila Prudente muito próxima de ter o Metrô

Na última semana o secretário dos transportes metropolitano, José Luiz Portela em entrevista ao programa "Manhã Bandeirantes" afirmou que em cerca de um mês ou um mês e meio, a nova extensão da linha 2 Verde, do Sacomâ até a Vila Prudente, passando pela estação Tamanduateí estaria pronta e operando...

Foi possível ver neste ultimo final de semana composições em teste no novo trecho em elevado sobre a Av. dos Estados e a Linha 10 - Turquesa da CPTM.

Renato Lobo



terça-feira, 3 de agosto de 2010

Novo trólebus começa operação em SP

O Novo trólebus 4 1901 desenvolvido e contruído por um consórcio entre as empresas Ibrava/Tuttotrasport/Iluminatti/WEG começou a operação comercial nésta quarta feira (30/06) na linha 2290 – TERM. SÃO MATEUS – TERM. PQ. DOM PEDRO II. Hoje ele foi avistado e fotografado na linha 342M TERM. SÃO MATEUS - TERM. PENHA.

Foto: Samuel Tuzi
O Veículo, que possuí 100% dos componentes fabricado no Brasil, deve rodar entre Julho e Agosto em todas as linhas operadas por trólebus na cidade.

Renato Lobo
Fotos gentilmente cedidas por Samuel Tuzi

Secretário Metropolitano de Transportes quer criar autoridade Metropolitana no setor

Ontem em na reunião Intermediária dos comitês técnicos da Alamys (http://www.alamys.org), José Luiz Portela, em entrevista disse da importância de se criar uma agência reguladora dos transportes Metropolitanos. Trata-se da tentativa de integrar todos os modais de transporte entre as cidades da região metropolitana de São Paulo, inclusive a tarifa.

O Secretário disse que São Paulo está muito atrasado nesta questão, e que esse órgão regulador do transporte em megalópoles é tendência Mundial. “Todos podem participar, prefeituras, mas têm que ter alguém coordenando isso”

Como plano piloto, a cidade de São Caetano do Sul, vai ser a primeira a testar esse novo conceito. A prefeitura abre mão do poder político, em contra partida recebe investimentos, por exemplo na região deve ser construído um VLT entre São Caetano do Sul e São Bernardo. A partir desse projeto de capacidade moderada (média capacidade) na cidade, todas as linhas municipais passam a alimentar essa espinha dorsal.

Por Renato Lobo

Usuários do Corredor de trólebus ganham sementes no dia mundial do Meio Ambiente

No sábado (05/06) todos os usuários do corredor Metropolitano São Mateus – Jabaquara ganharam semente de girassol, que simbolizava a semente plantada em cada usuário como responsabilidade com o nosso planeta. Foram 28 Mil sementes distribuídas exatamente no dia Mundial do Meio Ambiente. Na mesma data, foram plantadas mais de 100 árvores, totalizando mais de 2500 mudas.


Quem está por trás destas ações é a concessionária Metra, que opera os veículos e administra o corredor Metropolitano. Não é de hoje que a empresa se mostra ativa no setor. Foi adotado o nome Corredor Verde justamente para somar tais ações com os modais limpos, como os trólebus, ônibus híbridos, à Etanol, além do ambicioso projeto do veículo a hidrogênio, colocando o Brasil em um dos 5 países do Mundo a ter essa tecnologia.

Coleta de lixo

Até o fim de junho a garagem da Metra será ponto de coleta de óleo de cozinha usado, lixo eletrônico e papel. Em geral, estes materiais são acumulados pelas pessoas e dificilmente são destinados de maneira correta após o uso, gerando resíduos que causam prejuízos ao meio ambiente.

Não só os funcionários, mas também a comunidade no entorno da Metra poderá colaborar. Os participantes que entregarem as doações serão presenteados com um brinde ecológico e todo o material arrecadado será destinado à ONG Oxigênio Desenvolvimento de Políticas Públicas e Sociais.

Por Renato Lobo
Fotos e dados: Gentilmente cedidos pela Metra

29 anos da linha 342M

No dia 4 de Junho de 1981 éra inaugurada a linha Penha – São Mateus, com 16 km de extensão.
Inicialmente como linha experimental, no trecho entre a Avenida Celso Garcia e Rua Cezario Galeno no sentido de São Mateus, e na Rua Antonio de Barros e Av. Celso Garcia, no sentido Penha, os veículos precisavam andar sem a conexão das redes elétricas, o famoso “correr a alavanca”, já que o trecho não provia de desvios e chaves elétricas instaladas.
Era operada apenas por trólebus Marcopolo San Remo, dentre eles o famoso 7213. Porem posteriormente outros trólebus Ciferal Amazonas foram incorporado a frota.


Foi a pioneira com ônibus elétricos no Bairro de São Mateus, onde inicialmente fazia ponto final na Rua Felice Buscaglia, contudo em alguns meses teve seu ponto final transferido para o até então novo Terminal São Mateus (Usado hoje em dia como estocagem do Terminal Metropolitano, para os Ônibus do município de São Paulo)

Na Penha, juntamente com a “2340”, a linha tinha um traçado diferente do que se têm hoje: Após a Avenida Celso Garcia a linha seguia até o “centro da Penha” pelas ruas Cdor. Cantinho e Av. Penha de França, até chegar ao ponto final.
Na gestão Janio Quadros, se tencionava construir um novo terminal, ao lado do atual. Foi então construído o TERMINAL PROVISORIO ARICANDUVA. Mas os moradores da região foram contra a construção desta obra, já que o empreendimento desmataria muita área verde no bairro.
O traçado atual da linha foi constituído para melhor acesso ao bairro da Penha, visto que se encontrou a melhor alternativa após a saída do Terminal Aricanduva

Em meados de 1984 e 1985 devido à reforma e construção do novo Terminal Carrão, teve sua frota substituída, diga-se de passagem, a altura por ônibus à diesel do tipo Caio- Amélia volvo B-58

Atualmente a Himalaia transportes opera a linha das 4:00 à 00:45 com cerca de 35 veículos. É considerada até hoje como uma das linhas principais do sistema trólebus em São Paulo.

Foto: Samuel Tuzi

Foto gentilmente cedida por Samuel Tuzi

Video que mostra ocorrência na linha:

Por Renato Lobo – Pesquisa: Marcos Galesi (Defesa do trólebus/Respira SP)

METRA REALIZA AÇÕES NA SEMANA DO MEIO AMBIENTE

Para marcar o Dia Mundial do Meio Ambiente – que é comemorado em 05 de junho – a Metra, empresa de ônibus que opera no Corredor Metropolitano ABD, programou ações que terão início na semana que antecede a data.

De 31/05 até 30/06 a garagem da empresa será ponto de coleta de óleo de cozinha usado, lixo eletrônico e papel, materiais estes que muitas vezes são acumulados pelas pessoas e dificilmente são destinados de maneira correta após o uso, gerando resíduos que causam prejuízos ao meio ambiente. Não só os funcionários, mas também a comunidade no entorno da Metra poderá colaborar. Os participantes que entregarem as doações serão presenteados com um brinde ecológico e todo o material arrecadado será destinado à ONG Oxigênio Desenvolvimento de Políticas Públicas e Sociais (www.oxigenio.org.br)

Outra ação que será realizada no próprio dia 05/06 (sábado) é o plantio de árvores no Corredor Metropolitano ABD, dando continuidade à expansão do Projeto Corredor Verde, através do qual mais de 2500 árvores já foram plantadas ao longo dos 33 quilômetros da canaleta dos ônibus. Desta vez, a área contemplada será próxima ao Terminal Sônia Maria (Mauá).

Para reforçar ainda mais o compromisso da Metra com as gerações futuras, no mesmo sábado do plantio, as crianças que passarem pelos Terminais serão presenteadas com um brinde ecológico com sementes de plantas. A ideia é multiplicar o efeito de nossa ação, incentivando os “adultos do amanhã” a semearem um mundo melhor, no qual eles mesmos viverão.

Passeio de trólebus celebra passado de olho no futuro

No último sábado aconteceu o passeio solidário, evento promovido em parceria entre a Metra, o portal Via Trolebus e o Movimento Respira São Paulo.

Veja a matéria completa na rádio Blog Milton Jung da rádio CBN, por Adamo Bazani

Comissão de Trânsito e Transporte discute o sistema trólebus em SP

Ontem (06/05) aconteceu a reunião da Comissão de Trânsito e Transporte, Atividade Econômica, Turismo, Lazer e Gastronomia no Auditório Prestes Maia na Câmara municipal de transportes, onde foi discutido o sistema trólebus na cidade de São Paulo.

O Evento teve a participação de varias personalidades ligadas ao meio, como Pedro de Brito Machado da SPTrans, André Martins Lissandre do Consórcio leste 4, o vereador Abou Anni que levou o tema para a comissão, também o vereador Juscelino Gadelha, presidente da bancada, além de Marcos Galesi e Jorge Françoso do Respira São Paulo.

Entrega da denúncia para o vereador Abou Anni

Após denúncia do Movimento, sobre o descaso com o trólebus na capital paulista, o vereador Abou Anni levantou varias questões dos problemas que este modal sofre, como falta de energia, queda de rede, além da desativação de parte da frota e o atraso da chegada dos novos trólebus, já que no Edital de licitação da Área 4, prevê 140 novos veículos, sendo que atualmente só rodam 12.

Segundo Pedro de Brito da SPTrans, esse atraso é por conta da operadora Himalaia ter encontrado dificuldades para aquisição de novos protótipos, porem foi citado o novo trólebus da empresa Ibrava como uma possível solução. Segundo ainda Pedro de Brito, os problemas com a rede elétrica são frutos de um impasse entre a SPTrans e a Eletropaulo, esta última que se recusa a fazer manutenção correta já que não recebe por isso. Lembramos que estes problemas não são poucos. Diariamente ocorrem falhas que paralisam parcial ou total as linhas de trólebus, contabilizadas pela CET e repassada pelo nosso twitter (twitter.com/viatrolebus).

Na conclusão, após ser apresentado o custo de operação do trólebus é similar ao veículo à diesel, o vereador Albou Anni sugeriu para que sejam ampliadas as redes de trólebus, e que seja feitas mais reuniões desse tema na câmara.

Após, foi passada a palavra para outros presentes no evento, entre eles um dos diretores do sindicato dos motoristas de São Paulo “Moleque”, que classificou que “os trólebus estão na UTI”, além de levantar a questão do desemprego que a desativação destes veículos acarreta. Falou também Erick Dias, integrante do Respira SP, questionando o motivo dos trólebus Neobus, paralisados em Santo Amaro. Segundo André Martins Lissandre do Consórcio leste 4, não compensa a reforma dos veículos para a operação.

É importante dizer que qualquer pessoa interessada no assunto, pode comparecer na reunião, já que ela é de interesse da sociedade.

Circular Central completa 12 anos de operação nesta terça feira

27 de Abril de 1998, dia em que eram inaugurados os primeiros ônibus com bilhetagem eletrônica na capital paulista.
Tratava-se de um programa chamado “Circular Central”, onde previa apenas a circulação de trólebus no centro histórico de São Paulo, a fim de reduzir a poluição


Operação:

Foram divididos em 3 linhas:
2001 – TERM. BANDEIRA – TERM. PRINCESA ISABEL
2002 – TERM. PQ. DOM PEDRO II – TERM. BANDEIRA
2003 – TERM. PQ. DOM PEDRO II – TERM. PRINCESA ISABEL

A frota inicial era de 35 veículos divididos entre a Eletrobus (24 trólebus Torino GV) com as linhas 2002 e 2003. A Viação Santo Amaro (11 trólebus Neobus Evolution) com a linha 2001. Posteriormente toda operação ficou a cargo da Eletrobus com 27 carros – Do 7790 ao 7810, do 7916 ao 7919 e 7937, e o 7673.

Foto: Norberto Steven Jorge Pollak

Veículos:

Os trólebus da frota Circular Central possuem um visual totalmente diferenciado. Nas laterais trazem adesivos pintados com marcos históricos de São Paulo, como o Páteo do Colégio, o Viaduto do Chá, o Palácio das Indústrias.

Projeto previa a 4º linha

Era para ser implantada a 4º linha do circular central, que seria denominada 2004, e atenderia a Pça do Correio, mas a linha não fora criada.

Operação nos dias atuais

Hoje rodam cerca de 14 veículos no pico e 8 no entre-pico, apenas na linha 2002. As demais são da empresa Sambaíba, que também opera a linha 9300 TERM. CASA VERDE – TERM. PQ. DOM PEDRO.

Operação com veículos a Diesel mostra o descaso com o trólebus em São Paulo

Todo o itinerário das linhas 2001, 2003 e 9300 é provido de rede aérea mais subestação retificadora, porem a SPTrans alega que a empresa operadora não possuí tecnologia para rodar com os trólebus neste trecho, onde mais da metade é de corredor de ônibus. Todos sabem que o trólebus apresenta seu melhor desempenho justamente nestas faixas exclusivas, como melhor aceleração, melhor frenagem e velocidade constante, menor índice de queda de rede aérea e soltura dos cabos coletores (alavancas) além de claro, não poluir.

Por Renato Lobo

Linha 3160 – 30 anos transportando “mooquences”

No último dia 31, a linha 3160 TERM VILA PRUDENTE – TERM. PQ. DOM PEDRO II completou 30 anos, iniciando a operação no dia 31 de março de 1980, com 20 trólebus Ciferal/Amazonas, sendo a primeira linha do Plano Sistran na zona leste.

Foto: Samuel Tuzi

A linha trafega boa parte do seu percurso na Av. Paes de Barros, via esta que foi o primeiro corredor segregado da cidade de São Paulo. Atualmente a faixa exclusiva não serve apenas trólebus, mas veículos à diesel de diversas empresas, inclusive microônibus.

A linha já teve diversos pontos finais no centro da Capital Paulista, tendo a sua fase de ouro nos anos 90, quando a empresa Eletrobus operava os elétricos na garagem do Tatuapé (GTA). Eram mais de 35 veículos que ligavam os bairros da Mooca e Vila Prudente até o centro. Nesta época a linha tinha como ponto de passagem, o largo São bento, rua Libero Badaró e o largo São Francisco, onde a demanda de usuários era muito superior a dos dias de hoje

Outra característica, é seu funcionamento quase que 24 horas por dia. No ponto da Vila Prudente é possível ver o horário marcando das 03h25min ás 02h30min. Neste período opera apenas 1 carro, geralmente com o simpático motorista Ricardo, que diz que neste horário é tranqüilo a operação, já que não pega trânsito, e têm passageiros fiéis.

Atualmente a linha opera com cerca de 16 veículos, e têm como ponto final o Terminal Parque do Pedro II.

Renato Lobo
Foto: gentilmente cedida por Samuel tuzi